Seguro de carga: Brasil registra 1,5 bilhão em prejuízos com roubo de cargas em 2017

Colocar um veículo na estrada sem seguro de carga é um grande erro! Saiba quais sãos riscos e por que você não pode deixar de tê-lo. Acompanhe!

Ei, transportador de carga: você ainda transporta sem um seguro de carga? Sabe quais os riscos está correndo? No mínimo, um baita prejuízo no bolso e a credibilidade “morro abaixo”!

Mas, os problemas de não ter um seguro de carga adequado não param por aí. Se eu fosse você, prestaria mais atenção nessa questão tão importante.

O primeiro passo é continuar a leitura do texto e ficar atento às informações que ele traz. Em seguida, é hora de botar a mão na consciência e pensar no melhor para o seu negócio.

Por que eu tenho que fazer um seguro de carga?

Se você conhece os riscos da estrada, já sabe que viajar sem seguro é um tremendo vacilo. O seguro de carga é indispensável para evitar prejuízos financeiros e até sobre a imagem e credibilidade da sua empresa. Já pensou ser assaltado no trecho da entrega ou sofrer um acidente e não ter como cobrir os custos da mercadoria? Tremenda dor de cabeça!

Diversas situações na estrada podem resultar em avaria, perdas e extravio da mercadoria. Isso torna o transporte de carga uma operação de alto risco e você não deve abrir mão de um bom seguro. O risco de roubo, por exemplo, é uma das ameaças mais perigosas, podendo acontecer o desaparecimento (ou não) do veículo juntamente com os produtos roubados. Além do roubo, existe o risco de acidentes que, em sua maioria, danificam as mercadoria ou até destroem a carga por completa.

Para você, transportador de carga, o seguro é dividido em duas partes: o seguro contra acidentes, este obrigatório por lei no Brasil, conforme Comunicado da Superintendência de Serviços de Transporte Rodoviário e Multimodal de Cargas (SUROC), e o seguro contra roubo, que é opcional. É importante que você não confunda este seguro obrigatório com o Seguro DPVAT, dirigido a todo e qualquer veículo automotor de via terrestre e que se refere às leis de trânsito. Não tem nada a ver com o transporte rodoviário de cargas.

Hoje, o transporte de cargas é coberto pelo Seguro de Responsabilidade Civil do Transportador Rodoviário de Carga (RCTR-C), que garante o reembolso de indenizações por prejuízos causados às mercadorias transportadas em casos de acidentes na estrada.

Vale a pena arriscar e não fazer o seguro de carga?

A decisão de fazer o seguro de carga, mesmo ele já sendo obrigatório por lei, é sua! Vai arriscar? Nós temos certeza de que o risco não vale a pena. Sabe-se que a fiscalização do cumprimento da legislação do seguro de carga está a cargo da ANTT e a mesma será feita via Radio frequência, através do tag do veículo, o qual será verificado nos postos fiscais e até mesmo nas praças de pedágio.

Quer mais motivos para fazer o seguro de carga?

Se ainda pensa em não ter um seguro de carga, preste atenção nos dados: segundo a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), somente no período entre 2011 e 2016, o prejuízo com roubos de carga no Brasil chegou a impressionantes R$ 6,1 bilhões. Neste período foram mais de 97 mil ocorrências registradas por roubo de carga. O número representa um roubo a cada 23 minutos em estradas nacionais.

Lembre-se: uma mercadoria roubada, extraviada ou perdida em um acidente, pode sair muito mais caro do que fazer um seguro de carga.

Depois de ler o conteúdo, esperamos que você não tenha mais desculpas para vacilar e liberar os caminhões  sem o seguro de carga. Com uma apólice adequada, você fica tranquilão e tem boas noites de sono! 

Baixe agora nosso Checklist: “Como implantar um Plano de Gerenciamento de Riscos em empresas de Transporte”. Clique aqui!

seguro de carga

Receba Dicas Sobre Seguros

Deixe um comentário

O seu email não será publicado. Os campos obrigatórios são identificados.
Todos os comentários do site são moderados previamente. Se o seu comentário ainda não foi publicado, por favor, aguarde.