Plano de manutenção preventiva: impacto financeiro em empresas de transporte

Ainda não tem um plano de manutenção preventiva? O seu plano não reduz os custos? Leia nosso texto e comece a mudar a realidade hoje mesmo!

Por: Itacir Dilda

Os prejuízos de empresas de transporte podem ter causas distintas. Uma delas, em especial, gera perdas consideráveis, sem que muitos dos proprietários percebam.

Sabe do que estamos falando? Do plano de manutenção preventiva dos caminhões. A falta dele pode acarretar em perdas para o seu bolso.

Um plano de manutenção sai muito mais barato do que não o ter. Nem de perto, a organização e prevenção com os caminhões custará mais do que os imprevistos do trecho.

Entenda agora, ao ler todo o texto, que um plano de manutenção é essencial para a sua empresa e segurança dos motoristas e da carga.

Plano de manutenção preventiva: como fazer?

Para começar, é necessário fazer um levantamento das informações de todos os caminhões da frota: quilometragem, histórico de manutenções, desgaste dos componentes (caixa, sistema elétrico, etc.), troca de óleo lubrificante, lonas de freio, mangueiras, entre outros elementos.

Importante: Avalie o tempo de uso dos consumíveis do caminhão, seguindo as recomendações do fabricante. 

O passo a passo

1. Comece mapeando o processo: execute um levantamento das principais etapas da manutenção, principalmente as entradas e saídas;

2. Em seguida, registre tudo de forma documentada: estabeleça um procedimento documentado e relate todo o processo e as etapas que cada veículo passou. Mencione os check lists e documentos utilizados, assim como os responsáveis por cada atividade. Tudo isso pode ser facilitado com o uso dos sistemas da Atua;

3. Para a realização do processo: aplique a organização que foi documentada em todos os veículos de sua frota. Observe os itens que serão inspecionados e mantenha as informações registradas.

Quais são as consequências de não ter um plano de manutenção preventiva?

Não realizar o trabalho de prevenção resulta, entre outros problemas, nos seguintes prejuízos:

  • Aumento de ocorrências de manutenções corretivas;
  • Aumento do custo de manutenção;
  • Caminhão parado por mais tempo devido a problemas mecânicos;
  • Atraso nas entregas por caminhão quebrado no meio do caminho;
  • Aumento considerável do risco à integridade dos motoristas.
  • A manutenção no local em que ocorre a quebra do equipamento é muito mais difícil do que a programada em locais de confiança da transportadora;
  • Se o veículo quebrar na estrada, a transportadora fica sujeita à mão de obra disponível no local. O custo do reparo pode ser mais elevado e a mão de obra não especializada.

Quais são as VANTAGENS de se ter um plano de manutenção preventiva?

Veja o que acontece em empresas de transporte rodoviário que estão preocupadas com qualidade, segurança e em evitar prejuízos financeiros:

  • Trocando uma peça por tempo de uso ou quilometragem, e não apenas quando ela quebra, abre a possibilidade de seguir um cronograma para agendar os serviços. Isso gera inúmeras vantagens, tais como: evita a indisponibilidade não prevista do veículo, gera menor custo de aquisição de peças, cria uma programação dos gastos;
  • Melhor desempenho do caminhão e durabilidade estendida de todos os componentes;
  • A empresa terá um banco de dados de inspeções preventivas anteriores;
  • Contribuição direta do motorista com seus relatos de como estão as condições do caminhão;
  • Problemas que venham a surgir poderão ser investigados de forma minuciosa, assim como os danos em acidentes e abusos por parte dos motoristas;
  • Os custos em manutenções corretivas são registrados como perdas. Desta forma, as ações de correção e de acompanhamento podem ser tomadas, evitando novos acontecimentos como estes;
  • Uma simples regulagem reduz o desgaste de lona de freio. Essa atitude melhora a eficiência e redução no risco de acidentes no trecho.

Exemplos de prejuízos causados pela falta de manutenção

Uma simples folga no terminal de direção é o que precisa para acelerar o desgaste dos pneus. O transtorno provoca maior resistência do veículo no solo. O resultado disso? Maior consumo de combustível e desfalque no seu orçamento.

Outro exemplo é a perda de força do caminhão em subidas. Os problemas podem variar de acordo com o veículo, entretanto, os mais comuns são: filtro de ar obstruído, mangueira do intercooler com defeito ou ainda, as unidades injetoras que estão desreguladas. A falta de manutenção pode gerar a troca ou conserto precoce dessas peças.

E um dos piores exemplos: o atraso na entrega de mercadorias pode resultar em multas e perdas de clientes.

Dicas extras: Os checklists mais usados

  • Checklist Mecânico: verifique itens como os cabos, mangueiras, correias, entre outros. Itens críticos e que geram custos desnecessários, normalmente estão atrelados a regulagem de bico injetor e bomba de combustível;
  • Checklist da Lubrificação: analise se todos os itens foram lubrificados e os produtos armazenados de forma correta;
  • Checklist Elétrico: confira toda a parte elétrica do caminhão. Painéis, chicotes, fontes e cabos de energia devem estar na lista de itens a se verificar;
  • Checklist de Segurança: examine todos os equipamentos de segurança e se todas as normas estão sendo cumpridas. Lembre-se de conferir a data de validade dos equipamentos com tempo de uso determinado.

Não esqueça, a manutenção preventiva é decisiva para as finanças e segurança da sua empresa e colaboradores. Sem um plano de manutenção adequado, você perde em produtividade, qualidade dos serviços e até mesmo a sua credibilidade no mercado.

plano de manuteção

Receba Dicas Sobre Seguros

Deixe um comentário

O seu email não será publicado. Os campos obrigatórios são identificados.
Todos os comentários do site são moderados previamente. Se o seu comentário ainda não foi publicado, por favor, aguarde.