7 atitudes que farão um colaborador falir a sua transportadora

Os colaboradores da sua empresa de transporte desempenham um papel tão importante, que pode significar o sucesso ou o fracasso da sua empresa. Fique atento!

O colaborador responsável pela contratação de veículos, emissão de documentos e planejamento dos embarques é peça-chave para a empresa de transporte de cargas ou uma agência de graneis, assim como em outras modalidades. Sua eficiência é decisiva para o bom funcionamento de todo o processo de transporte.

O desempenho desse colaborador pode resultar no sucesso ou fracasso de uma empresa. Tanto isso é real, que nos motivou a escrever este post.

A seguir, você vai conhecer as 7 atitudes que farão um colaborador levar a sua empresa a falência. Acha exagero? Então leia todo o conteúdo, temos certeza de que você vai mudar de ideia!

1. Falta de informações e treinamento adequado

O colaborador deve estar ciente de cada etapa do processo de transporte, principalmente gerenciamento de carga, análise física do motorista, estado dos veículos e conhecer todas as coberturas vigentes da apólice de seguro da sua empresa. Caso contrário, a falha em uma dessas etapas pode resultar em prejuízos.

Aí na sua empresa, os colaboradores recebem treinamento e estão sabendo legal todas as informações do processo de transporte de cargas, inclusive as novas regras? Faça essa avaliação, antes que as ações na justiça, acidentes e manutenções de veículos não previstas comecem a ser frequentes.

2. A busca “desenfreada” por veículos para carregamento

Essa busca “desenfreada” por veículos provoca, muitas vezes, um ato negligente do colaborador na análise do perfil do motorista e do veículo. Ele não pode pensar somente em “carregar, carregar e carregar”! Deve saber que o produto que ele vai transportar é de responsabilidade de um cliente e que precisa ser entregue em prefeitas condições.

Somente assim, estará sendo cumprida a função natural do transporte com sucesso.

3. Emitir documentos de transporte sem a devida atenção

Esse tipo de emissão é causadora de muita dor de cabeça e prejuízo no bolso! Quando feita de forma negligente, a documentação pode resultar em multas ao chegar em um posto fiscal. Sem contar que a atitude gera transtorno ao setor financeiro da empresa de transporte.

4. Falta de informações sobre a descarga

Isso pode resultar em prejuízos enormes: a falta de informações sobre a descarga! A busca pelas informações corretas, por outro lado, evita o pagamento desnecessário de estadia. Então, mesmo estando liberado um lote de carga, o colaborador precisa saber o que está acontecendo durante a descarga.

Imagine que o colaborador autorize o envio de 10 caminhões para a descarga, sem saber que ela está quebrada. É muito prejuízo para uma empresa de transporte com estadia.

Portanto, o colaborador responsável por essa tarefa tem que estar sempre atento às situações das descargas.

5. Gastos desnecessários com veículos e combustíveis da empresa de transporte

Muitos colaboradores que trabalham em filiais tem à sua disposição carros e outros tipos de veículos. Nesses casos, a empresa de transporte deve controlar rigorosamente o tráfego. A medida evita gastos desnecessários ou abusivos com combustíveis e manutenção.

A falta de controle acaba, muitas vezes, permitindo que o mal colaborador faça uso desses veículos em benefício próprio. Como falamos popularmente, vira um “costume” usar o veículo da transportadora para qualquer deslocamento, seja ele em função do trabalho ou em atividades de interesse particular do colaborador.

6. A justiça do trabalho

Como o trabalho em uma empresa de transporte exige bastante dedicação e jornadas mais longas, é necessário fazer a análise profunda dos perfis que está se contratando. Isso evita que a empresa leve uma enxurrada de ações trabalhistas individuais ou coletivas.

7. Falta de boa conduta e ética perante motoristas e clientes

A má conduta e a falta de ética representam dois graves problemas em qualquer situação de trabalho. No setor de transporte de cargas não é diferente! As atitudes negativas do colaborador faz com que a empresa de transporte fique mal vista — ou falada — em sua região de atuação.

Esse tipo de atitude acaba travando as atividades da empresa, não permitindo que ela desempenhe as suas funções diante dos clientes e nem dos motoristas. Afinal, qual é o motorista que vai pegar uma operação onde ele é mal tratado? Esse, por sinal, é um dos problemas mais graves e frequentes nas empresas de transporte. O resultado são as dificuldades enormes na hora de encontrar um motorista.

 

Para encerrar, lembramos que o colaborador responsável pelas questões citadas durante o conteúdo precisa apresentar essas características: gostar de ouvir as pessoas, ser comunicativo, ter autocontrole e paciência com as situações do cotidiano e, obviamente, respeitar o próximo.

E aí, gostou do tema? Esperamos ter ajudado! Aproveite e baixe agora nosso e-Book: Como implantar um Plano de Gerenciamento de Riscos em empresas de Transporte? Clique aqui!

Receba Dicas Sobre Seguros

Deixe um comentário

O seu email não será publicado. Os campos obrigatórios são identificados.
Todos os comentários do site são moderados previamente. Se o seu comentário ainda não foi publicado, por favor, aguarde.