7 passos simples para evitar prejuízos financeiros com seu contrato de seguro

Seguro não tem que ser um processo complicado. Veja aqui 7 passos para fazer o seu contrato de seguro com toda a segurança e evitar problemas no futuro!

Não tem jeito: chegar na hora de receber a indenização pelo sinistro e descobrir que não tem direito ao prêmio é uma das maiores dores de cabeça que um indivíduo pode ter na vida. Dependendo do tamanho do prejuízo, pode ser muito difícil se recuperar mais adiante.

E quem pensa que isso só acontece com quem é muito despreparado ou distraído, não sabe como está enganado. Infelizmente a situação é muito mais comum do que se imagina – e por diversos motivos.

Por isso nós decidimos ajudar você a ficar longe desse tipo de problema listando 7 passos simples para evitar prejuízos financeiros com seu seguro. Fique atento e redobre a atenção com o contrato de seguro que você optar.

Seja qual for o seguro, os riscos são os mesmos

Não há seguro melhor ou pior – os riscos de não receber o prêmio previsto no contrato de seguro são os mesmos seja para automóveis, transporte de carga, bens pessoais, imóveis ou mercadorias. A verdade é que todos eles têm uma infinidade de pequenas exigências que devem ser esclarecidas no momento da contratação. É obvio que o cliente sempre vai procurar o menor preço, porém somente na hora do sinistro é que se percebe a diferença de uma contratação ou de outra com maior custo. Então fique esperto para não cair em uma cilada!

1 – Leia com atenção o contrato de seguro

Toda conquista é resultado de muito trabalho e é normal querer protegê-la. Mas para fazer valer seus direitos você precisa fazer o seguro certo. O problema é que nem sempre o contrato de seguro, ou apóliceestá cobrindo o que você imagina.

Por exemplo, se você faz um seguro de carro e quando ocorre um sinistro, como uma colisão, você pode acionar o seguro para fazer o reparo. Mas pode ser que, dependendo da situação em que ocorreu o sinistro, ele não esteja dentro da cobertura.

Por isso fique sempre muito bem atento às condições de pagamento do prêmio, aquelas letrinhas que listam todas as exceções no contrato de seguro. Se não entender bem o significado de alguma daquelas situações, pergunte ao corretor, ligue para a seguradora, e só assine depois de compreender – e concordar, é claro.

2 – Pesquise a idoneidade da seguradora 

Como em qualquer outra área, há empresas de seguro sérias, com nome já bem consolidado no mercado, e outras que vivem causando problemas a seus segurados. Para evitar entrar para esse time, faça uma pesquisa de mercado.

Fale com amigos que já utilizaram o mesmo tipo de seguro, busque por informações na internet sobre possíveis processos e/ou notícias na imprensa, pesquise nos órgãos de defesa do consumidor do seu estado e nacionais.

Além da idoneidade, há seguradoras que fazem tudo para complicar a vida do segurado e enrolam o máximo possível para pagar o seguro, enquanto outras são menos burocratizadas e descomplicadas.

E não esqueça: a empresa deve ser registrada na Superintendência de Seguros Privados (Susep), a autarquia vinculada ao Ministério da Fazenda que é responsável pelo controle e fiscalização dos mercados de seguro.

Para checar se a corretora é habilitada, entre no site da Susep e, na página “Consulta de corretores”, informe o número de registro, nome e CNPJ da corretora. Você consegue essas informações nos sites das próprias corretoras, no final da página.

3 – Fique atento aos prazos legais 

De uma forma geral o contrato de seguro indica que o segurado tem até 30 dias para comunicar a ocorrência do sinistro, mas o ideal é que essa comunicação seja feita o quanto antes. De qualquer forma, antes de assinar o contrato tenha clareza sobre quais são todos os prazos legais para não perder direito ao seguro por ultrapassar qualquer um deles.

Verifique o tempo para comunicação do sinistro, para entregar qualquer documentação, para desistir do seguro sem prejuízo e também os prazos que a seguradora tem para dar retorno e pagar a indenização.

4 – Confira todos os dados do seguro

Na hora de efetivar um contrato de seguro, é muito comum o cliente entregar os dados e o corretor ir preenchendo a apólice, esquecendo-se que o profissional, como qualquer ser humano, pode errar algum dado. O problema é que qualquer informação fornecida errada é suficiente para anular aquele item e a sua cobertura.

Por isso, além de só fornecer informações verdadeiras, confira toda a apólice antes de assinar o contrato de seguro. Nesse caso pequenos detalhes podem fazer uma enorme diferença.

5 – Fique de olho nos valores no contrato de seguro: reajuste, franquias e tabelas

Os valores estipulados também precisam ser cuidadosamente conferidos. Qual a avaliação do bem segurado? Ela corresponde à realidade? Qual o critério de atualização definido – índice, tabela, valor médio de mercado? Qual o valor da franquia? Ela poderá ser parcelada? Se preciso, faça uma simulação de recebimento da apólice para não ter uma surpresa desagradável mais tarde.

6 – Consulte condições de pagamento

Muitas seguradoras dão excelentes descontos para pagamentos à vista, mas, se não for possível, consulte as condições para o pagamento parcelado. Como nessa modalidade há mais riscos de não cumprimento do compromisso, evite atrasar as mensalidades, mas fique atento a quantos dias de atraso permitem, legalmente, que a seguradora cancele a apólice de seguro.

7 – Exija uma cópia do contrato

Exija uma cópia do contrato, esse é um direito seu. Assim você tem a garantia de que tudo o que contratou realmente está previsto no documento, sem modificações.

Seguindo esses 7 passos você estará se precavendo contra aborrecimentos futuros e facilitando o recebimento do seu seguro.

E você, já teve algum tipo de problema com apólice de seguro? Conte para a gente a sua experiência!

 

Receba Dicas Sobre Seguros

Deixe um comentário

O seu email não será publicado. Os campos obrigatórios são identificados.
Todos os comentários do site são moderados previamente. Se o seu comentário ainda não foi publicado, por favor, aguarde.