5 sinais que uma empresa de transportes precisa reavaliar a sua corretora de seguros

Neste conteúdo você vai enxergar pontos que podem estar precisando de uma atenção maior da sua empresa em relação a sua corretora de seguros.

Contratar os serviços de uma corretora de seguros é algo comum na rotina da sua empresa de transporte, não é? Mas você sabe exatamente o papel que esta empresa desempenha, ou deveria desempenhar, para o sucesso do seu contrato de seguro?

A função primordial da corretora de seguros deve ser a de promover o bem-estar de seus clientes, pessoas físicas ou empresas. Para isso ela é contratada: para intermediar e administrar o contrato de seguro, através de um acompanhamento próximo para garantir a eficácia da apólice.

Na prática, a experiência de mercado vem demonstrando claramente que alguns destes conceitos não vem sendo praticados na sua totalidade. As corretoras, em grande parte, muitas vezes estão focadas somente no ato de “vender o produto”, não se dedicando suficientemente para entender as necessidades da operação da transportadora. O resultado disso é o desencontro de informações e, somente na hora sinistro, vem à tona os problemas e falhas nos processos que deveriam ter recebido atenção especial.

Listamos aqui as situações que devem acender o alerta: minha corretora está desempenhando o seu papel para garantir o sucesso da minha apólice?

1 – Detalhamento da operação

Caso sua corretora de seguros não tenha pedido um detalhamento de todas as cargas que você carrega, horários de embarques, procedimentos de viagens – como comboios entre outros – você tem chances de não receber uma possível indenização!

2 – Atendimento especializado da corretora de seguros

Se a sua corretora de seguros não fornece constantes atualizações de informações do setor de transportes em relação à seguros, fique atento. A sua empresa tem grandes chances de ficar desatualizada com algumas regras em determinadas situações. Isso porque a área de seguros para transportes vem sofrendo drásticas mudanças nos últimos anos.

3 – Procedimentos de abertura de sinistros

Pelo menos 50% do bom andamento do sinistro se dá conforme as medidas adotadas imediatamente após a ocorrência, portanto, é fundamental informá-la assim que acontecer. Neste momento você precisa da expertise da sua corretora para saber qual ação vai gerar menos prejuízo financeiro. Se o sinistro for informado diretamente para a seguradora, por exemplo, você fica dependendo da agilidade do regulador e isso pode gerar enormes prejuízos. Por isso prefira sempre informar sua corretora como primeira opção. Sua corretora deverá estar pronta ou possuir equipe para esse tipo de ocorrência.

4 – Transparência nas informações repassadas pela corretora de seguros

Fique atento às promessas que não estejam devidamente documentadas pela seguradora. Em todas as alterações na sua apólice, a seguradora envia um documento esclarecendo o que foi feito. Caso você não tenha esses documentos na mãos, atenção: as alterações podem ainda não ter validade.

5 -Prevenções

Perceba se sua corretora está preocupada somente com seguros e não com a saúde da sua operação – a melhor forma de prevenir é agir antes do risco! Caso sua corretora nunca tenha lhe oferecido ferramentas para prevenção de eventos ou tomada de decisões, é bom ficar atento. O seguro é uma ferramenta para proteger a transportadora de um evento decorrido, porém a corretora tem ferramentas para lhe auxiliar, com isso o custo do seguro pode também diminuir.

 

Nosso conteúdo ajudou você a pensar na relação que está tendo com a sua corretora? Nosso blog está cheio de informações valiosas que podem ajudar a reduzir os riscos na operação na sua empresa de transportes! Se preferir ainda, deixe aqui o seu comentário sobre a sua situação, nós podemos esclarecer algumas das suas dúvidas.

 

Receba Dicas Sobre Seguros

Deixe um comentário

O seu email não será publicado. Os campos obrigatórios são identificados.
Todos os comentários do site são moderados previamente. Se o seu comentário ainda não foi publicado, por favor, aguarde.