Custos logísticos: cálculo é um dos maiores desafios das empresas de transporte de cargas

Quais são os itens fundamentais que precisam estar na conta dos custos logísticos de empresas de transporte de cargas, você sabe? Confira!

Calcular os custos logísticos é um dos maiores desafios das empresas de transporte de cargas, concorda? As consequências de um cálculo mal feito pode resultar em prejuízos e perda de tempo. Sem contar que o motorista não fez nada mais do que “dar uma carona” para carga.

Aí na sua empresa, como você faz o cálculo para definir o preço de uma viagem? Ou simplesmente você coloca seu preço próximo a concorrência? Será que os custos logísticos estão todos na planilha? Tire suas dúvidas com a leitura deste conteúdo que foi preparado para facilitar a sua vida. Acompanhe!

Tamanho e peso da mercadoria

Começamos a nossa conta dos custos logísticos falando sobre dois itens básicos: tamanho e peso da mercadoria. Ao conhecer as dimensões exatas da mercadoria, assim como o seu peso, é feito o cálculo da cubagem. A cubagem, medida bastante utilizada no setor de transporte de cargas, envolve a relação da área ocupada no veículo e o seu peso.

Sabe por que essa conta é feita? É uma forma justa porque há cargas que ocupam um espaço maior, mas pesam pouco. Em contrapartida, existem outras de volume pequeno e que pesam bastante. Deste modo, interferem diretamente na quantidade de mercadorias que o veículo é capaz de transportar.

Valor da mercadoria na nota fiscal

Quanto mais vale uma mercadoria, maior será o custo do frete, certo? O valor que consta na nota fiscal vai influenciar no valor final do frete. Quanto a isso, não restam dúvidas, pois as mercadorias que se enquadram na categoria de carga valiosa, refletem nos custos logísticos.

Esse valor maior para o transporte de cargas valiosas se deve às taxas que utilizam o valor da nota como base de cálculo, como os seguros, gerenciamentos de riscos e para os impostos. E, é claro, não podemos deixar de lado a maior exposição ao risco, pois a carga de valor superior tem maior atratividade de desvio.

Distância entre o endereço de origem e destino

Não tem como fugir desse item! Se o destino é mais longo, os custos logísticos, como combustível, desgaste do veículo, pernoite e outros fatores, entrarão para o cálculo. E tem ainda os locais de acesso complicado ou que pedem para trocar de modal ou submodal de transporte.

Outro fator que você deve considerar é o risco que o trajeto oferece, como altos índices de assaltos e estradas ruins.

Categoria do produto

O produto é frágil, perecível ou bastante visado para roubos? Leve em conta que o transporte deverá ser realizado de forma especial, portanto, também terá um acréscimo no frete.

Prazo de entrega

O prazo de entrega foge do seu processo padrão de entrega? Primeiro, pense se vale a pena fazê-lo. Em seguida, caso aceite o frete, acrescente este fator ao preço.

Taxas extras e impostos em custos logísticos

Taxas e impostos não podem ficar de fora dos custos logísticos! Existem casos em que o prazo e o destino da mercadoria promovem algumas taxas extras: pedágios, taxa de gerenciamento de risco (GRIS), taxa de restrição de trânsito (TRT), frete excedente e taxa de coleta e entrega.

Além das taxas, impostos como ICMS e ISS também incidem no valor do frete. Não esqueça disso!

Mercadoria oriunda de importação ou exportação

Essa é para as empresas de transporte cargas que trabalham com importação ou exportação: tratando-se de mercadoria oriunda de importação ou exportação, conforme o regime de isenção fiscal ou benefícios que a mercadoria goze, pode gerar elevados custos de impostos para a transportadora. Estes são chamados de impostos suspensos e benefícios internos.

Custos pós-envio

Tem gente que não lembra desse item, mas ele é bem importante: custos pós-envio. Em situações danosas para o transportador, como a entrega que não foi feita em decorrência do horário, a devolução de produtos com defeitos ou reenvio de mercadoria, será necessário arcar com as despesas extras.

Tarifa mínima

Adotar a prática da tarifa mínima é comum. Isso vale para o transporte de cargas em que o peso está abaixo do habitual. Com o valor mínimo, mesmo em um carga de peso menor, pode-se cobrar um valor fechado para realizar o frete.

 

Então, ficaram claros quais são os custos logísticos que você deve levar em conta na hora de definir o preço do frete? Siga as orientações e faça os melhores negócios.

Gostou do conteúdo? Aproveite para ler outro post muito interessante do nosso blog: Gestão de frotas ineficiente aumenta o custo operacional na empresa de transporte.

Receba Dicas Sobre Seguros

Deixe um comentário

O seu email não será publicado. Os campos obrigatórios são identificados.
Todos os comentários do site são moderados previamente. Se o seu comentário ainda não foi publicado, por favor, aguarde.