5 problemas de seguro gerados pela falta do mapa de riscos

Um gerenciamento de cargas eficiente é essencial para que se atenda às exigências da seguradora e para ter a cobertura necessária do seguro no caso de sinistro.

A redução de imprevistos é um fator decisivo para o perfeito transporte de cargas. Ela significa mais facilidade no cumprimento de prazos, maior segurança para a carga e muito mais economia para a empresa, que também consegue maior consolidação do seu nome no mercado.

Mas o que muitos gestores não estão atentos é que um gerenciamento de cargas eficiente é essencial para que se atenda à exigência da seguradora e que se tenha a cobertura necessária. Um plano de riscos em dia é uma das exigências da empresa seguradora para o pagamento da indenização em caso de sinistro, ou seja, as seguradoras condicionam um plano de gerenciamento de riscos à cobertura da apólice de seguro.

Muito se engana, no entanto, quem pensa que o gerenciamento de carga começa no carregamento e termina na entrega: ele deve ter início já no recrutamento da equipe de colaboradores e continua no pós-venda, garantindo o controle de todo o processo.

Conheça agora 5 problemas mais comuns gerados pela falta de um plano de gerenciamento de cargas eficiente e porque ele é tão importante para a saúde financeira da sua empresa.

1- Maior predisposição ao roubo da carga

Tanto o delito à mão armada quanto o desvio da carga, modalidade mais parecida com o furto, podem ter seu risco atenuado com um plano de gerenciamento. Para evitar esse problema, o gerenciamento deve utilizar algumas ferramentas, como rastreamento por GPS, escolta, se necessário, monitoramento da frota via DVR veicular ou câmeras embarcadas e rotograma falado, por exemplo. As inovações facilitam o trabalho de gerenciamento da operação.

2- Negativa de pagamento da indenização do seguro

O pagamento integral da indenização está condicionado à obrigação do segurado a adotar medidas de gerenciamento de risco. Estas ações, por sua vez, devem ser executadas por empresas devidamente especializadas, com atuação reconhecida e dentro dos padrões exigidos pela apólice de seguro.

De uma forma geral, o contrato estabelece que o inadimplemento de qualquer dever predeterminado ao segurado restringe a garantia oferecida. No entanto, uma vez atendidas todas as exigências da apólice de seguro, não há fundamento legal ou fático que exonere a seguradora do pagamento da indenização do seguro.

3- Atrasos na entrega

Pesquisa realizada em 2015 pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) mostrou que 61% das empresas de e-commerce têm como principais problemas os frequentes atrasos na entrega. O problema gera falta de credibilidade no mercado por parte dos consumidores e sua consequente falta de competitividade e sustentabilidade.

O gerenciamento de cargas, por outro lado, atua identificando e analisando novos riscos durante o descarregamento, de forma a buscar novos métodos e ferramentas que minimizem o problema. Assim, é possível melhorar a eficiência nas entregas, reduzindo o índice de atrasos e oferecendo recursos assertivos aos clientes (entrega personalizada, logística reversa, etc).

4- Risco de avarias e multas

Mercadorias entregues com avarias prejudicam o nome da empresa, fazendo com que o cliente migre para a concorrência. Dependendo do tamanho da remessa, o gerenciamento de cargas ineficiente pode gerar prejuízos que vão desde eventuais multas e interceptações pelos órgãos fiscalizadores quanto demissões, inclusive do próprio gerente de operações.

Vale lembrar também que qualquer irregularidade ou ilegalidade na carga ou no veículo, intencional ou não, também acarreta na perda do direito de indenização – mas não cancela o seguro.

5- Perdas humanas

Imperícia, imprudência e negligência podem ocasionar perdas físicas, mas também humanas, gerando ainda custos com indenizações, substituição de funcionários, rescisões contratuais etc. No entanto, elas também podem ter seu risco reduzido através de um bom gerenciamento de cargas eficiente.

Uma vez que a imperícia ocorre quando o funcionário não tem a habilidade necessária; a imprudência, quando o trabalhador é seguro do seu trabalho ou tem uma postura proativa, mas não tem o conhecimento requerido ou o tem mas se julga acima de eventualidades; e a negligência é falta de atenção, o gerenciamento deve contemplar a contratação de funcionários qualificados e experientes ou a capacitação dos colaboradores atuais.

Assim, o gerenciamento de carga eficiente deve envolver aspectos materiais e humanos, prevendo análise logística e técnica, além do monitoramento das atividades. Dessa forma é possível reduzir a margem de risco e eliminar futuros problemas com o seguro de carga que possa acarretar em perda da indenização em caso de sinistro.

Como é feito o mapa de risco para evitar problemas com o seguro de carga na sua empresa? Conte a sua experiência para a gente aqui, nos comentários!

Receba Dicas Sobre Seguros

Deixe um comentário

O seu email não será publicado. Os campos obrigatórios são identificados.
Todos os comentários do site são moderados previamente. Se o seu comentário ainda não foi publicado, por favor, aguarde.